Albatroz Engenharia na Portugal Inovador

Albatroz Engenharia na revista Portugal Inovador

Distribuída com o Jornal "O Público"

A Albatroz Engineering, sediada em Lisboa, nasce pelas mãos de Alberto Vale e João Gomes Mota, administrador e nosso interlocutor nesta entrevista. Começou a trabalhar em I&D ao serviço da EDP em 2003 e convidou o seu colega Alberto a juntarse à inovação na área de inspeção de linhas elétricas a partir de helicóptero.

Na vanguarda da Investigação e Desenvolvimento

Fruto da experiência prévia de ambos como engenheiros de I&D em robótica móvel desde a década de 90, introduziram sensores e capacidades de inteligência artificial num processo que estava dependente das capacidades humanas, operando num contexto muito exigente, a escassos metros de linhas de alta tensão.

Para rentabilizar esse produto, resolveram fundar a Albatroz em 2006. Nesse mesmo ano, assinaram um memorando de entendimento com o grupo EDP e, um ano depois, já tinham o primeiro sistema a voar. “Esse sistema mede em tempo real a distância do helicóptero às linhas, árvores e solo, tudo por questões de segurança, evitando, por exemplo, colisões”, como explica o engenheiro. Em final de 2008, fez-se o primeiro contrato em Espanha, um outro contrato de software com o Canadá e, em 2011, começaram a trabalhar para França. “Aí, a nossa vida mudou um bocado: deixámos de fornecer só tecnologia e passámos a fazer o processamento dos dados”, acrescenta.

Direcionada para a aeronáutica, a empresa desenvolve hardware e software para sistemas operando em aeronaves, primeiro helicópteros, depois drones. O seu A Albatroz Engineering, sediada em Lisboa, nasce pelas mãos de Alberto Vale e João Gomes Mota, administrador e nosso interlocutor nesta entrevista. Começou a trabalhar em I&D ao serviço da EDP em 2003 e convidou o seu colega Alberto a juntarse à inovação na área de inspeção de linhas elétricas a partir de helicóptero. produto-bandeira é o PLMI e, como tudo o que é montado numa aeronave tripulada tem que ser certificado, criaram um grupo interno para alcançar essa certificação sendo uma das quatro organizações portuguesas reconhecidas como Design Organisation Approval [DOA] pela agência europeia de segurança na aviação [EASA], estando habilitados para certificar a instalação dos seus próprios equipamentos.

Para lá da aeronáutica, o seu público-alvo são as empresas de linhas elétricas. Atuando a meio da cadeia de valor, acabam por trabalhar com empresas de prestação de serviços na área dos helicópteros e aviões sem perder de vista a cadeia até aos utilizadores de eletricidade.

A empresa foi criada sempre como uma ponte entre a I&D e o mundo industrial. Nesta altura, já patrocinaram seis mestrados, um doutoramento em aeronáutica com a UBI, mais de 30 estágios, publicações em conferências, mantendo parceria estreita com as universidades e empresas como via de partilha e criação de ideias. A distinção da concorrência é marcada por quatro princípios: “fazer coisas personalizadas a cada cliente, otimizar as soluções em função da qualidade/preço, trabalho lado a lado com o cliente e a abertura à I&D”, sublinha Gomes Mota.

Com cerca de 30 colaboradores, possuem clientes em Portugal, Espanha, França, EUA, Canadá e Itália. Nas palavras do administrador, “tendo em conta a sustentabilidade, a convicção é que, na maior parte das atividades, se forem bem feitas conseguimos reduzir o impacto ambiental delas, adequando os equipamentos e os procedimentos para esse efeito”.

Para o futuro, a Albatroz Engenharia quer transportar o seu conhecimento para outras áreas, apostando para isso no seu trabalho de I&D, com vista a setores como o inventário e avaliação da “saúde” florestal ou a inspeção das linhas férreas.

 
 

Portugal Air Summit 18

A Albatroz Engenharia esteve presente no Portugal Air Summit 2018 que decorreu em Ponte de Sor de 24 a 27 de Maio. Neste evento, a nossa equipa de aeronáutica apresentou e demonstrou a sua mais recente solução para inspecção de linhas eléctricas: o Hélix 300. Sendo a Albatroz uma empresa DOA certificada pela EASA, este projecto é um exemplo do suporte que a nossa equipa poderá fornecer a outras empresas, no âmbito da certificação de componentes/equipamentos para as suas missões.

 

Para mais informações acerca do Hélix 300 e das nossas competências DOA, por favor contacte-nos através de

Pegadas de Dinossáurio

Pegadas de Dinossáurio

Na Pedreira do Galinha  pode encontrar testemunhos da passagem de dinossáurios conservados nas superfícies das camadas de calcários que constituem estes relevos.

Trata-se de uma superfície com cerca de 40 000m2 e centenas de pegadas de saurópodes, organizadas em vinte pistas. Duas das quais constituem as pistas mais longas do mundo com cerca de 140 a 150m de extensão.

 

Quer sentir ao natural a dimensão destes animais?

Passe pela Pedreira do Galinha e aprecie  as pegadas de dinossáurios que se conservaram na laje calcária ao longo de 175 milhões de anos .

 

Para obter mais informações visite o site: 

http://www.pegadasdedinossaurios.org

 

 

Este trabalho é uma colaboração do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas (APANT)  e Albatroz Engenharia.

 

Logos

 

Pegada_Frente_Esq

Impressão da mão esquerda                  

Impressão do pé do saurópode que revela um rebordo junto aos dedos formado pelo sedimento que foi afastado devido ao peso do animal.

                  

 

Dino_Right_Hand1_V3

Modelo 3D da mão direita           

 

Março2016-Newsletter

Janeiro - Março 2016

 

Destaques:

Small systems para patrimónios e paisagens urbanas

A simular a vida real @ Albatroz Engineering

Feiras e Eventos

V edição do MecanIST

 

 

Ler notícias da newsletter de Março de 2016 (inglês).

 

Para receber a versão integral da nossa Newsletter, contacte-nos através do e-mail info@albatroz.engineering